Arquivo da categoria: Morando Sozinha

5 coisas que ninguém te conta sobre morar sozinha(o)

Morar sozinha(o) não é nem de longe a tarefa mais fácil, mas o que mais me chamou atenção é que tudo que eu pensei que precisava saber, eu não precisava, e tudo que eu nem imaginava que precisa, eu tive que aprender.

Sabe aquelas coisas que a gente ouve falar por ai?: “Se você nem sabe cozinhar, como quer morar sozinha(o)?”, “Se você tem medo de matar barata, como quer morar sozinha(o)?”, “Você não lava nem seus pratos, não sobreviveria um dia morando sozinha(o)” Já ouviu alguma dessas frases ou similar? Eu ouvia todas e muito mais! Mas a real é que essas coisas se tornam apenas detalhes diante de tudo o que estava por vir, pois hoje, com google, dá pra se virar bem! Mas ninguém te fala sobre o outro lado da vida sozinha(o)! E é sobre isso que vamos falar

1- Tá realmente disposta(o) a assumir a responsabilidade?

Pois é, a vida quando se quer morar sozinha(o) se torna mais desafiadora. Todas as decisões são de sua responsabilidade. Mesmo que você ouça conselhos, a decisão continua sendo sua. Você tem que ir atrás de absolutamente tudo o que quiser fazer e é bom estar preparada(o) para os imprevistos que podem acontecer. É claro que, dependendo do seu caso, talvez você ainda possa contar com a ajuda de sua família, mas eu sempre tive uma coisa muito certa na minha cabeça: “Eu escolhi isso, eu irei arcar com a responsabilidade por mim mesma”. Não estou dizendo que a gente não pode pedir ajuda, claro que pode, e muitas vezes, até deve, mas isso não pode ser um hábito. Aprenda a resolver as coisas por si e arcar com as consequências de suas decisões.

2- Prepare-se emocionalmente para os dias de solidão e carência.

Esse tópico dava pra fazer um post só pra ele.
Tem dias (principalmente no começo) que a gente sente uma solidão enorme, é uma falta de nós mesmas(os) que parece que está faltando uma parte do nosso coração. Demorou pra eu entender a diferença entre solidão e solitude e como não deixar minha carência falar mais alto. Acabei por vezes me aproximando de pessoas que não me faziam bem, era só pura carência mesmo. Foi, e continua sendo um processo. Tem dias que da vontade de acordar e ter alguém ali, e tem dias que você ama acordar e estar só com os seus gatos. A vida é assim mesmo, aprenda a lidar com isso.

3- Aprenda a se organizar.

Minha musa inspiradora da organização! Marie Kondo <3

Eu nunca fui muito bagunceira, mas também não era muito organizada quando morava com minha vó, mas hoje eu sou a organizada da turma! E eu amo organização! Quero em breve fazer posts falando mais sobre isso.
E isso não significa que eu seja a chata, louca, e que na minha casa tá tudo sempre organizado. NÃO, mas isso significa que TUDO, TUDO tem seu devido lugar, mesmo que não esteja lá no momento. O grande segredo da organização é que ela tem que se expandir para outras áreas da sua vida, você precisa ter as contas organizadas, registros, papelada, enfim, tudo o que for necessário. E o mais importante: organização te faz ter mais TEMPO e tempo é a coisa mais valiosa que nós temos hoje.

4- Errar e continuar, mas nunca parar.

Você vai cometer tantos erros que as vezes vai se sentir a pessoa mais tapada do mundo, mas me escuta bem: tá tudo bem! Eles estão te moldando e te ajudando a crescer, então ao invés de ficar de mimimi, perceba o que está aprendendo e bola pra frente! Isso vai passar.

5- É menos assustador do que parece.

Eu nunca vou me esquecer de todos os medos que eu tinha sobre morar sozinha: “como vou me sustentar?”, “e se não der certo?”, “o que eu vou comer?”, “como vou sobreviver?”. E posso falar? Depois de um tempo, você percebe que nada disso acontece. Pra ser bem sincera, o seu maior monstro estará dentro da sua própria mente, você terá que aprender a lidar com ela pra não enlouquecer. Com planejamento, ação e boa vontade você consegue realizar muitas coisas. Não é um bicho de sete cabeças por mais que muitas pessoas tentem te convencer do contrário, a real é que como seres humanos, nós sempre daremos um jeito. Tudo o que eu citei aqui, foram habilidades que eu fui desenvolvendo e que você pode desenvolver também 🙂

Ficou com alguma dúvida ou quer ver algo novo por aqui? Me manda nos comentário, eu vou amar!

Beijos, Carol <3

Meu conselho após 4 anos…

Esse mês eu comemoro 4 anos morando sozinha. E como muitas pessoas me perguntam como é morar sozinha, quanto eu gasto, por que eu moro sem meus pais, do que eu me alimento, como sobrevivo e afins, eu decidi falar mais sobre isso e atrelar com o meu processo de autoconhecimento. Além de ser uma grande experiência (e um sonho que eu tinha desde pequena), quando eu tomei essa decisão, ouvi de algumas pessoas frases do tipo: “você não vai conseguir”,”jajá volta pra casa da vó”, “não faça isso, pense bem antes”. Maaaaas, depois de 4 anos, continuo firme e mais forte. E dividir todo esse o meu processo pode te ajudar também, pois não quero que você cometa os “erros” que eu cometi. Como diria Eleanor Roosevelt:

“Aprenda com os erros dos outros. Você não consegue viver tempo suficiente para cometer todos por si mesmo.”

Eleanor Roosevelt.

Eu vou começar com um conselho que eu sempre dou para quem me pergunta se vale a pena morar sozinha(o):

More sozinha(o) antes de decidir morar com outra pessoa.

Rocha, Carolyne. 2015.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, morar sozinho não é solidão, é solitude*. E é um dos processos mais profundos de autoconhecimento que eu pude experimentar. Também ouço isso de muitos amigos que moram/moraram sozinhos, é uma experiência transformadora para quem está disposto a pagar o preço.

E eu acredito que isso aconteça pelo simples fato de que nós nunca somos iguais quando estamos ao lado de outra pessoa e quando estamos sozinhos, independente de quem seja. Você pode até falar: “Nossa, mas tenho tanto intimidade com meu parceiro(a), consigo sempre ser eu mesma(o).” AHAM! Eu só aceito essa resposta se você já morou pelo menos uns 2 anos sozinha(o), e se for o caso, eu quero saber o que você faz. (A mãe ficar fora 3 meses não conta, viu?).
Uma coisa é ter alguém ali, olhando pra você, possivelmente julgando e criticando seus comportamentos. Outra, bem diferente, é quando você está sozinha(o) e pensa: “Posso fazer o que eu quiser aqui, ninguém está olhando”. Entende a diferença? Dá uma mega sensação de liberdade.

E que fique bem claro: não estou incentivando que as pessoas sejam solitárias, mas incentivo que sejamos independentes emocionalmente, mais desapegados, e o mais importante: que aprendamos a amar nossa própria companhia, para depois apreciar a companhia do outro. Se você não consegue ficar com você por muito tempo, como quer que outra pessoa se sinta bem com sua companhia?

Já ouvi frases do tipo: “Eu jamais conseguiria morar sozinha(o)”, “Não consigo ficar sozinho(a) por muito tempo”. Nesse caso, vejo 2 coisas: 1- essa pessoa não sabe que morar sozinho é diferente de ser/estar sozinho. 2- ela não aprecia a beleza que existe na solitude.

Eu concordo que a gente se conhece muito através do outro, porém se você não se permitir ficar sem o outro, você nunca vai se conhecer de verdade. A solitude é linda e a companhia de outra pessoa é linda também. Você não precisa abrir mão de uma para ter a outra, é simples assim. A diferença é que quando estamos sozinhos, vem a constatação: “Agora é por minha conta”, e ai a ficha cai. Porém, você se surpreende com sua força, com suas atitudes e ações. Você percebe que não era nada daquilo que falaram que você era ou que você pensava ser. Frágil? Delicada demais para fazer tal coisa? Não colocar a mão na massa? Não existe isso para quem está no jogo da vida. Porque na hora do vamos ver, você vai arregaçar as mangas e fazer acontecer. Se você não fizer, ninguém vai fazer por você. Então, muitas vezes, você descobre que mesmo com toda sua ternura, existe uma força enorme dentro de você, capaz de fazer o que for preciso para sobreviver e alcançar o que você realmente quer. E acredito que nos damos conta disso quando não há ninguém por perto para pedirmos ajuda naquele momento.

Importante ressaltar: não estou dizendo que devemos fazer tudo na vida sozinhos (por sinal, acredito que isso não é possível), já precisei de muita ajuda e adoro estar com ótimas companhias, mas existem momentos em que precisaremos lidar com nossas próprias questões, emoções e sentimentos, e ninguém no mundo fará isso tão bem quanto nós mesmos.

Por isso, conheça você profundamente, antes de querer conviver com outra pessoa (estou falando especificamente para quem pretende morar com o(a) parceiro(a) afetivo(a), não para quem quer dividir apê com amigos (falarei disso em outro post)). Para mim, se conhecer significa não projetar suas expectativas no outro e gerar frustrações. Existem outras formas de fazer isso, mas acredito que a experiência de morar sozinha seja a mais impactante e é a que eu experiencio hoje 🙂

Bom, espero que esse post faça sentido pra você, não estou querendo impor nada, mas acredito que seja uma experiência que agrega muito. Arrisco até dizer que, talvez muitos casamentos se salvariam se antes, as pessoas dedicassem tempo para o autoconhecimento e depois tomassem essa decisão.

Se você gostou, deixa um comentário me contando se você está passando por isso, ou pretende morar sozinha(o) eu vou amar saber 🙂
Beijos, Carol <3

*Diferença entre solidão e solitude = solidão é se sentir sozinho abandonado,sentindo falta de ter alguém. Solitude = é estar só, porém inteiro com sua presença e se sentir bem com sua própria companhia.

4 Lições valiosas que aprendi morando sozinha e levo pra vida.

Meu desejo de morar sozinha veio desde muito nova. Quando eu tinha 6 anos eu já ficava sozinha em casa à noite porque era só eu e minha mãe e ela fazia plantão (enfermeira) para conseguir nos sustentar. No fundo eu acho que ela já estava me educando para aprender a me virar sozinha.

Com 13 anos, eu já pesquisava apartamentos na internet, sonhando em ter minha independência, privacidade e meu cantinho. Morar sozinha se tornou um grande sonho, pois era a representação da minha liberdade que sempre foi algo que valorizei muito. Aos 20 anos, tive a oportunidade de morar com uma amiga, e depois de um tempo, ela decidiu ir embora e fiquei sozinha.

Então, o que era um sonho, se tornou também, um grande aprendizado. Percebi que algumas coisas me ajudavam não apenas com a casa, mas também na minha vida como um todo, então juntei algumas das diversas coisas que aprendi para passar pra quem também sonha com isso e quem sabe contribuir de alguma forma:

 

1- Você não precisa saber tudo.

dica11.gif

Acredite se quiser, você não precisa saber cozinhar, matar barata, lavar roupa, ou qualquer outra coisa para morar sozinha(o).
Sabe por que? YouTube e Google te ensinam quase tudo! (mas é importante que você tenha internet senão não rola :). Eu morria de medo de dar esse grande passo por não saber fazer as coisas dentro de casa, (nem arroz eu sabia fazer) pois minha vó sempre soube fazer tudo (trocar chuveiro, martelar as coisas, consertar o carro, cozinhar, etc) então eu não precisava me preocupar com isso. Maaaaas, a vida sozinha te força a aprender algumas coisas (que no fundo é bem legal) e sério, tudo que eu preciso saber, eu aprendo. Isso me trouxe uma coragem absurda para realizar as coisas que eu quero, até trocar meu chuveiro foi prazeroso pra mim, foi uma conquista! Lâmpada então? Fichinha.

Então, se você realmente quer, você é capaz de aprender QUALQUER coisa, nunca se esqueça disso. 

 

2- Estude sobre educação financeira.

 

dica2

Ahh, esse é o conselho que eu quero dar pro MUNDO. Estudar educação financeira não significa que você vai ser um economista ou investidor (se quiser também, sem problemas) mas que você vai saber planejar bem seu dinheirinho.
                                                                                                                                                                                          
E por quê eu falo isso? Quando fui morar sozinha, eu tinha o perfil de consumista inconsciente (sabe aquela pessoa que compra sem saber o pq?) e me deparei com vários problemas no apartamento logo de início (encanamento, eletrodomésticos, vazamentos e etc), e adivinha só?
Me ferrei muito, acabei gastando muito mais e eu ainda estava na faculdade (tinha os gastos de lá) e me deparei com um momento muito difícil para mim, me vi pela primeira vez em uma dívida (cartão).

Cheguei um dia em casa e tive que encarar isso de frente.
Peguei meu caderno, anotei todas as contas (fixas, variáveis, juros do cartão e etc). E percebi que não tinha jeito, teria que pegar um empréstimo com o banco (não era um valor muito alto, mas eu nunca tinha passado por isso). Hoje eu vejo que eu podia ter pedido ajuda para minha família e amigos, mas eu pensei “poxa, morar sozinha foi uma escolha minha, tenho que me responsabilizar por isso”.
Enquanto eu planejava uma forma de resolver essa situação, eu fiz uma promessa, para mim mesma; eu NUNCA mais ficaria negativa! E assim eu fiz, paguei todo o empréstimo, fiz e faço grana extra todo mês e ainda invisto meu dinheiro, além de estudar o mundo das finanças (que eu gosto muito), dedico um dia na minha semana para cuidar do meu dinheiro; planejar, investir e nunca mais me permiti ficar no vermelho.

Eu aprendi da forma mais difícil, mas você não precisa aprender assim, e calma, não estou dizendo que você precisa de uma super reserva para morar sozinha (eu não tinha nada quando fui) mas aconselho que tenha pelo menos uma graninha guardada porque pode ser que sua casa precise de reparos e não é legal ser pego de surpresa.


3- Atenção à saúde e alimentação.

dica3.gif

Uma das coisas complicadas de morar sozinha é que você está SOZINHA. Ou seja, quando você fica doente, não tem ninguém lá pra te ajudar, (eu tenho vizinhos maravilhosos, mas eu não me sinto bem incomodando eles a não ser que seja muito grave) então, você precisa se manter, quase sempre bem, porque se acontecer algo, provavelmente não terá ninguém lá pra te ajudar. É muito difícil eu ficar doente, tenho uma ótima imunidade, mas já passei alguns perrengues do tipo; levantar e ir até o banheiro, passar mal, cair no chão e não conseguir levantar nem pedir ajuda. Então, ter uma boa alimentação, e se manter sempre bem (com os pensamentos também) é algo fundamental se você quer morar sozinha. Faça essa gentileza com você e trate seu físico, mental e espiritual!

4- Selecione bem quem frequenta sua casa (e sua vida).

dica4.gif

Para mim, isso é muito importante, pois acredito que as pessoas têm energias e nem sempre é bom ter aquele entra e sai dentro de casa. E morar sozinha significa contratar serviços; internet, manutenção, encanador, etc.. então tive que começar a pedir indicações de pessoas que eu confiava para realizar os serviços na minha casa.

Eu nunca tive problemas com isso, já passaram alguns técnicos na minha casa que foram super respeitosos, a única vez que fiquei com receio, foi com uma moça que minha amiga chamou para limpar a casa, ela tinha uns papos bizarros (tipo que ofereceram dinheiro pra ela matar uma pessoa mas ela negou) então, ESCOLHA BEM quem frequenta sua casa e sua vida (cerque-se de gente do bem).

Na boa? Esse negócio de festa e chamar gente pra sua casa, vai ser bem mais difícil do que você imagina, no fim, você não quer todo aquele trampo de limpar as coisas. Quer muito mais paz do que ficar esquentando a cabeça.

DICA BÔNUS:

No começo você vai errar muito, errar feio; quando for no supermercado, quando contratar algum serviço, quando lavar roupa e manchar tudo, mas você vai aprender, aprender muito e morar sozinha é um constante aprendizado. E ta tudo bem errar, você é humano, aceite os fracassos mas não se apegue à eles. 

Por enquanto é isso. Com leveza e amor: Carol Rocha. <3