Arquivo da tag: Autoconhecimento

É preciso aprender a desaprender para reaprender.

Umas das coisas que tenho notado nesse processo de autoconhecimento, é a necessidade que se faz em aprender a desaprender para reaprender. Comecei a perceber isso, quando entendi que muitas das coisas que eu acreditava e fazia, baseavam-se em condicionamentos que me foram impostos.
O que acontece é que nós raramente nos questionamos sobre as coisas. Achamos que se está assim é porque é assim e fim de papo, mas não é bem isso.

Para exemplificar melhor, quero te fazer uma pergunta:
Você acha que crianças são criativas, sonhadoras e imaginativas? Provavelmente sim, né?
E os adultos, são criativos,sonhadores e imaginativos?
Pode até ser que você conheça uns por ai que sim, mas são poucos (imagino eu). E você acha que os adultos já foram crianças? 🙂 Pois é!! O que será que aconteceu no meio do caminho então? Se nós éramos criativos,sonhadores e imaginativos, por que bloqueamos isso?

A verdade é que nós já nascemos fora da caixa, mas foram tantos condicionamentos que fomos colocados dentro dela.

O que eu acredito que aconteça, é que esses mesmos adultos não criativos que nos ensinaram a ser como eles, são filhos de outros adultos não criativos também. Fomos ensinados que trabalho é coisa séria, que adultos são sérios, sempre ocupados, na correria (e falam como se fosse algo bom) cheios de reuniões desnecessárias e problemas psicossomáticos. Já as crianças; são sonhadoras, criativas… Os adultos… Não! Precisam ser “pé no chão” ou “realistas”. É claro, não estou dizendo que não tenhamos que pensar nos nossos atos, ou sair fazendo coisas desenfreadamente sem pensar antes de agir. NÃO É ISSO, mas tudo é uma questão de aprender a equilibrar esses dois lados dentro de nós.

“O mundo se tornou adulto demais”

O Pequeno Príncipe.

Desaprendemos a amar, imaginar, sonhar… Por isso, precisamos aprender a desaprender, ou seja, aprender a retirar todos esses filtros que impedem que vejamos a nossa verdade, e reaprender sobre o que é ser criativo, sobre amar, sonhar, imaginar... E o lado bom da história, é que fica muita mais fácil aprender quando lá no fundo, você já sabe!

“Muito mais difícil do que lembrar, é esquecer”

Rubens Alves

É preciso enxergar as coisas com o mesmo olhar de uma criança quando está aprendendo algo novo; totalmente presente, interessada, atenta, sem julgamentos.

Vou recomendar alguns exercícios que me ajudaram muito nesse processo profundo dentro de mim:

1- Faça uma lista de 5 coisas que você amava fazer quando era criança.
2- Tente se lembrar o que te falaram quando você contou pra alguém sobre essas coisas.
3 – Observe como você se sente e o que deixou de fazer por conta de julgamentos externos.

Além também da meditação que me ajuda muito e claro, o thetahealing que vem pra quebrar várias crenças e bloqueios, recomendo muito o filme pra “O Pequeno Príncipe”. No filme, esse assunto é abordado de uma forma maravilhosamente profunda.

Espero que tenha ficado fácil de entender mesmo sabendo que se trata de um assunto complexo.

Deixa um comentário se isso faz sentido pra você.
Beijos, Carol. ❤